segunda-feira, 30 de maio de 2011

Perseguição

Conversando com um amigo sobre a igreja perseguida ouvi algo que me causou fortes emoções. Uma mistura de satisfação com surpresa, algo que me arrepiou desde os fios dos cabelos ate a ponta dos pés, sensação essa que jamais esquecerei.


A história foi o seguinte:

Um pastor estava pregando para uma multidão na Coréia do Sul (nesse tempo a pregação do evangelho era proibido naquele país), ao fim dessa pregação 100 homens aceitaram o Senhor Jesus e decidiram segui-Lo. O pastor que pregava, prometeu ama-los e consolidou a cada um, fazendo-os se tornarem homens de Deus, pastores. Como o evangelho era proibido, todos os 100 acabaram sendo presos, inclusive o pastor. Os guardas os levaram para o um rio, tiraram as suas roupas e fizeram com que mergulhassem. Estava muito frio, e como tortura os guardas passavam de um lado para outro com uma toalha e uma xícara de café, para que eles pudessem negar o nome do Senhor.

Algum tempo depois, já com os lábios brancos e com dores profundas por causa do frio, o pastor que os consolidou falou:

"Não aguento mais! Meus dedos estão se quebrando e meu corpo dói, eu vou negar o nome do Senhor."

Os novos pastores que haviam sido consolidados, surpresos gritaram "Não faça isso! Você nós ensinou que o Senhor é fiel, que nós não devemos negar o Seu Santo nome, e você esta desistindo!?"

Mesmo com todas essas palavras, o pastor continuou a se locomover a beira do rio. Quando estava prestes a saí uma luz que vinha desde o mais alto ponto do céu ate o chão onde ele estava desceu sobre ele, e um anjo apareceu tirando sobre sua cabeça sua coroa. No mesmo instante ele caiu morto. Sem glória, sem Jesus, sem ver cumprir a promessa da Nova Jerusalém. Todos os guardas viram aquilo. E um deles gritou:

"Eu não sei porque ele negou o nome de Jesus, mas eu não negarei." Imediatamente todos os guardas entraram na água.

Que historia profunda, que histórias de Deus, que belo testemunho!

Não seja como o pastor que negou o nome do Senhor, permaneça fiel, e ore ardamente pela Igreja perseguida.

Ainda Que A Figueira Não Floresça...

"O Senhor Deus é a minha força, e fará os meus pés como os das cervas , e me fará andar sobre as minhas alturas" Hc 3: 19


Habacuque é um profeta sem pátria e sem sobrenome, pouco se sabe sobre a história deste homem, ele foi contemporâneo ao profeta Naum, viveu por volta do ano 600 a.C. Provavelmente ele estaria envolvido com algum ministério do templo e talvez fosse até mesmo levita.

O que se sabe é que Habacuque testemunhou a transição do domínio Assírio, dos caldeus para o domínio persa babilônico. A Assíria é descrita no texto do profeta como a insaciável e aquela que devora os povos. Aquela que confia na sua própria força e na sua rede como um deus.

São tempos de muita opressão, violência e injustiça. No início do livro o profeta se mostra ansioso clamando por um socorro que não vem. A impressão que o profeta tem é que Deus se esqueceu de fazer justiça ao oprimido e ao seu povo. Mas quando o profeta se prontifica a buscar ao Senhor, ainda que pareça demorada a resposta vem.

O livro do profeta Habacuque é um convite à esperança, a crer na ação de Deus ainda que ela pareça demorada. Nós podemos confiar que a palavra de Deus virá como livramento mesmo que pareça que nós pereceremos diante das aflições e amarguras da vida.

Confie na resposta do Senhor além do que você vê!

A primeira coisa que eu aprendo com este texto de Habacuque é que Deus não age naquilo que os nossos olhos vêem ou nas circunstâncias que a vida nos diz como elas devem ser, mas Ele age até mesmo nas impossibilidades. Habacuque não conseguia mais ver a flor da figueira, os frutos da videira, nem o óleo produzido pela oliveira. As ovelhas haviam sido roubadas e o gado exterminado, mas ele cria no que o coração dizia existir ou que viria a existir no Senhor. Ele cria na esperança de viver por fé e não por visão.

Mesmo que tudo ao seu redor seja dor, morte e destruição, encontre o lugar do louvor e da adoração a Deus pela certeza de que sua promessa de paz se cumprirá.

A alegria jubilante do louvor é a nossa confiança naquilo que Ele, o Senhor fez, faz e fará em nossas vidas independente das circunstâncias que nos cercam. É por fé e não pelas situações da vida que nos alegramos no Senhor. É a certeza de sua presença poderosa e vitoriosa que enche o coração de celebração. No Novo Testamento, o livro Atos dos Apóstolos relata a experiência de Paulo e Silas quando estavam presos.

Eles haviam recebidos muitos açoites e haviam sido encarcerados porque estavam pregando o Evangelho, mas a esperança da Eterna Glória estava em seus corações. Eles estavam dispostos a morrer naquela prisão se preciso, mas a gratidão que eles ofertaram a Deus em forma de cânticos provocou o poder libertador de Deus a favor deles. As cadeias da morte e da desesperança foram quebradas pelo poder da adoração confiante. Esta é a alegria que não se baseia no que os olhos vêem, mas no que o coração crê para justiça de Deus em nós.

Saiba Encontrar no Senhor a sua fortaleza!

No versículo 16 do livro de Habacuque :"Ouvi-o, e o meu íntimo se comoveu, à sua voz, tremeram os meus lábios; entrou a podridão nos meus ossos, e os joelhos me vacilaram, pois, em silêncio, devo esperar o dia da angústia, que virá contra o povo que nos acomete". O profeta sente os joelhos se enfraquecerem diante do medo da morte, ele sente como se os ossos estivessem apodrecendo de medo. Mas no versículo 19: "O SENHOR Deus é a minha fortaleza, e faz os meus pés como os da corça, e me faz andar altaneiramente", ele se volta para quem o faz forte. É esta confiança na força de Deus e não na nossa que mudará as perspectivas de nossas vidas.

Conclusão: É o modo como olhamos para a vida que nos fará perceber a alegria da salvação. O Senhor Jesus disse que “se nossos olhos forem bons nossa própria vida será iluminada”.

Existem pessoas que perderam a capacidade de crer, que já não conseguem perceber o poder do Senhor de transformar o medo em confiança, a destruição em possibilidade de reconstrução. Mas o Deus que responde mesmo em meio à dor e à perda nos convida a confiar novamente no seu braço forte. Qual é a figueira da sua vida que não dá mais flores? Qual é o fruto que foi arrebatado da sua videira existencial? É tempo de redescobrir a fé que nos capacita a ver o mundo pelo avesso, na perspectiva de Deus

Ele virá...

"Multidões, multidões no vale da decisão; porque o dia do Senhor está perto, no vale da decisão. O sol e a lua enegrecerão, e as estrelas retirarão o seu resplendor. E o Senhor bramará de Sião, e de Jerusalém fará ouvir a sua voz; e os céus e a terra tremerão, mas o Senhor será o refúgio do seu povo, e a fortaleza dos filhos de Israel.”. (Joel 3:14-16)


Desde seus primeiros passos como Igreja Primitiva a Noiva espera pela vinda do Noivo; quando Ele a virá buscar. E assim temos permanecido desde então. É bem improvável que você leia a Palavra do Senhor e não consiga reconhecer os sinais da Sua volta... como o mundo está, como as coisas tem acontecido, tudo nos remete ao fato de que Ele virá e que “o dia do Senhor está perto...”.

Queridos, hoje eu quero lhes falar sobre como deve estar seu coração em relação a essa segunda vinda do Senhor. Muitas vezes meu coração se enchia de temor quando eu ouvia falar desse assunto... algumas vezes eu ficava com medo mesmo! Se você se sente ou já se sentiu assim, não tenha vergonha, isso é bem mais comum do você possa imaginar. O problema de “ter medo da volta de Jesus” é que por trás desse medo está a incerteza, diria até que certa insegurança. Eu não diria que é falta de certeza da salvação, não é isso; só que vamos combinar, tudo que é desconhecido assusta!

Se você está confiante de que quando morrer vai pra Glória eterna e o dia do julgamento vai ser moleza, Glória a Deus por isso, mas não saia simplesmente criticando aqueles que por um segundo tremem um pouco na base em relação a tudo isso. Agora, se você é dos que ainda estão nesse “um segundo”, permita-me te dar uma dica: INTIMIDADE! Somente buscando a intimidade do Pai esse receio vai deixar de fazer parte da tua vida.

Quem não se lembra de algum momento, quando você ainda era criança, que o medo se apoderava de você de tal forma que só nos braços do papai ou da mamãe você conseguia parar de tremer? Você não saía abraçando o primeiro que aparecesse na frente... Mesmo que não fosse um de seus pais, mas tinha que ser seu avô, ou um tio bem próximo... Alguém com quem você realmente tivesse intimidade!! Alguém em quem você confiasse, que você sabia que estava ali pra te ajudar...

Da mesma forma é com Jesus. Se você nunca experimentou dessa intimidade, fica meio complicado. Não é algo que possa saber só pela teoria, você precisa da prática!!! Se agarrar com Ele, se esconder em Seus braços até que todo medo vá embora é tudo que eu e você precisamos. Eu sei que nesses dias você tem enfrentado dificuldades, circunstâncias que te assustam por um instante e que às vezes até te fazem chorar e é nesses momentos, queridos, que Jesus mais se aproxima de você, com os braços abertos, esperando que você O perceba ali e decida correr pros seus braços!

Para reforçar o que eu falei até agora e te mostrar que Ele realmente é a nossa fortaleza de forma que não devemos temer sua vinda, eu gostaria de ressaltar a segunda parte do versículo 16 do capítulo 3 de Joel que eu citei logo no começo, só que na versão da Bíblia Viva: “Contudo, com o seu povo, Israel, o Senhor será bondoso. Ele é o seu Refúgio e a sua Força

segunda-feira, 9 de maio de 2011

O Grande Eu Sou VS deuses do Egito

Todos um dia já ouviram falar das pragas do Egito, quando Moisés tentou tirar por ordem de Deus o povo israelita escravizado no Egito.


Mas porque razão foi necessário as dez pragas sobre aquele povo? Qual era o recado de Deus para faraó e os egípcios?

O Egito na época de Moisés era a maior potencia em termos de governo, domínio e tecnologia. Um país avançado nas artes, na engenharia, arquitetura, administração e muito mais.

O Egito era governado por um faraó, mas os egípcios além de adorar ao faraó como uma encarnação do deus sol adorava também cerca de 2000 deuses.

Praticamente tudo que existia estava associado a um deus.

Então, Deus levanta Moisés para revelar sua glória ao Egito e a pergunta de Moisés foi: Senhor, quando me perguntarem seu nome o que é que eu digo?

E a resposta de Deus foi: "EU SOU O QUE SOU, EU SOU me enviou a vós" (Êxodo 3.14)

Em resumo, Deus estava falando que Ele era o grande Eu sou, Ele era tudo e nada podia ser comparado a Ele.

Então, quando Moisés apresentou o grande EU SOU a faraó, é óbvio que ele não iria acreditar que apenas um Deus, com um nome tão estranho pudesse vencer os cerca de 2000 deuses do Egito.

Então, Deus começa a mostrar seu poder sobre cada deus do Egito através das 10 pragas:

Primeira praga: As águas tornam-se em sangue

O rio Nilo era adorado pelos egípcios, aliás o Egito era considerado uma dádiva do Nilo. Ele criam que os principais deuses governavam o Nilo e o principal era o deus Hâpi, criador de todas as coisas, que da lama do Nilo formou o homem. Quando as águas do Nilo se tornaram em sangue por sete dias e toda vida do Nilo cessou, Deus derrotou a Hâpi.

Segunda praga: A praga das rãs

Os egípcios criam na deusa-Rã Heqt, a deusa da ressurreição. Porém ao invadir o Egito com rãs, Deus venceu Heqt, e a Bíblia fala que depois de orar para que cessasse a praga, as rãs foram juntadas aos montões e a terra cheirou mal, cheirou a morte. Onde estava então a deusa da ressurreição?

Terceira praga: A praga dos piolhos

O pó da terra se transformou em piolhos e isto foi considerado magia pelos egípcios, então os magos invocaram a Tot, senhor da magia, mas eles foram totalmente desmoralizados.

Quarta praga: A praga das moscas

O Egito adoravam a Ptah, como o criador de todas as coisas, inclusive das moscas, e toda a terra do Egito foi invadida pelas moscas, com excessão da terra de Gósen, onde o povo de Israel vivia. Deus guardou seu povo e derrotou a Ptah.

Quinta praga: A praga da peste nos animais

Alí Deus derrotou dois deuses em uma cajadada só. Derrotou Hathor, a deusa-vaca e derrotou Àpis, o deus-touro, aquele mesmo bezerro de ouro que os israelitas quiseram adorar depois.

Sexta praga: A praga da úlceras

Naquele momento, tanto homens como animais foram acometidos de furúnculos e sarnas e os magos clamaram com certeza a Imhotep, deus da medicina, mas este não pode fazer nada por eles, Deus o derrotou.

Sétima praga: A praga da Saraiva

Os céus do Egito se encheram de trovões e fogo, imaginem o desespero daquele que olhava para o céu. Foi aí que Deus mostrou que tanto Reshpu, controlador das chuvas e trovões, quanto Nut, deus-céu não tinham poder nenhum.

Oitava praga: A praga dos gafanhotos

Faraó confiava em sua força e na força de seu deus Min, protetor das lavouras, para guardar seus celeiros, mas Deus derrotou a Min, enviando uma praga de gafanhotos que não deixou nem uma folhinha sobre toda a terra do Egito.

Nona praga: A praga das trevas

Por três dias o Egito ficou mergulhado em densas trevas, trevas que eram palpáveis de tão densas. A luz do Egito, representada pelos deuses Rá, deus-sol; Hórus e Aten, deuses solares, foi apagada. Deus derrotou a todos eles.

Décima praga: A morte dos primogênitos

Alí Deus derrotou a faraó, pois ele era considerado a encarnação de Osíris, o doador da vida e também a Ísis, deusa da vida. Nem Faraó, nem Ísis e nem Osíris puderam trazer os primogênitos de volta a vida. Deus é Senhor sobre tudo e todos.

Assim, Deus mostrou que Ele é o GRANDE EU SOU, aquele povo pôde ver que seus deuses eram completamente inúteis e que só há um Deus sobre toda a terra.

Assim diz o Senhor: "Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória pois a outrem não darei..." Isaías 42.8

Jesus, o resgatador!

"Ele nos resgatou do império das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do seu amor;" (Colossenses 1 : 13)
 
O episódio dos mineiros ainda me emociona. Tanto esforço, tantos planos, plano A, plano B, plano C, enfim, cálculos e mais cálculos para resgatar de um abrigo a quase 700 metros da superfície os 33 mineiros de volta a luz.

Não posso deixar de comparar essa história com a história do meu Senhor.

Assim como os mineiros estavam naquele buraco escuro, nós, pecadores, estávamos perdidos em meio às trevas. Carentes de cuidado, de alimento, de amor e principalmente de sermos resgatados.

Porque o pecado nos separou de Deus, assim como os 622 metros de terra e rocha separavam os mineiros da vida normal.

Mas assim como os homens traçaram um plano formidável para resgatar aqueles 33 homens, Deus antes da fundação do mundo também já tinha escrito que Jesus seria o nosso resgatador.

Enquanto estávamos ali, separados dele por causa do pecado, mesmo assim, Ele se comunicava conosco, mas nós não podíamos vê-lo realmente como ele é.

Os mineiros recebiam as mensagens por cartas, por vídeos, e nós, através da bíblia, das profecias e das orações.

Foi então que um duto foi aberto até os mineiros, e não havia mais separação entre os mineiros e a civilização, mas, alguém precisava tirá-los de lá. Uma cápsula chamada de Fênix (renascida das cinzas) foi criada para fazer esse transporte, e assim foi feito, e todos se salvaram.

Deus então, muito antes de inventarem a mineração, já tinha determinado que Jesus abriria um caminho para que nós pudéssemos chegar até Ele, e foi através do seu sangue que nós voltamos para Ele.

A cruz foi o duto aberto por Deus, e o sangue de Jesus foi a cápsula que nos transportou do império das trevas, para o reino de Jesus.

O que nos separava, agora não separa mais, e podemos ter livre acesso ao Pai. Não satisfeito, Jesus desce até onde nós estávamos para levar consigo aqueles que morreram crendo que Ele viria para salvá-los;

Hebreus 4
8 Por isso diz: Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro, E deu dons aos homens.
9 Ora, isto ele subiu que é, senão que também antes tinha descido às partes mais baixas da terra?

E foi assim que Ele nos resgatou.

No, dia 13 de Outubro, fica marcado como o dia do resgate da vida dos 33 mineiros, mas nossas vidas hoje estao salvas pelo sacrifício daquele que se entregou com 33 anos, por mim, por você.

Porque Ele é Jesus, O Resgatador!

Ah Jesus, realmente, voce é o cara! Te amo....

As adversidades

As adversidades da vida são como as brisas nas noites frias de Inverno elas vêm e vão e precisamos de nos libertar delas!

Cada minuto que estão presentes parecem-nos horas.

Tantas são as vezes que temos tudo programado e pensamos que o dia vai correr dentro da normalidade mas de repente é um filho que adoece o carro que estraga uma conta extra para pagar e isso basta para alterar o nosso dia programado e agendado!

Sentimos cansaço porque cada dia que passa e algo incerto acontecem e nós tentamos vencer as adversidades da vida!

Remamos contra ventos e marés, tentamos vencer as águas agitadas vamos buscar as forças ao mais intimo de nós. Só que nem sempre conseguimos remar na mesma direcção da águas... elas são fortes e atiram-nos para o chão... O cansaço toma conta de nós!

As nossas barreiras emocionais a insegurança, o medo, a falta de confiança  parecem paralisar as nossas pernas. Pedimos força para fazer frente às adversidades da vida...

Nem sempre a conseguimos porque são anos e anos de luta em que por vezes a escuridão  da noite se sobrepõe à luz do dia...

E temos receio de não ter meios para fazer brilhar a luz em vez da escuridão!

Eu admito o meu cansaço, Mas não a desistência Isso não consigo...

Não posso desistir, apesar de sentir o meu corpo a fraquejar e a minha alma cansada de tanta luta...

Mas a vida é como um novelo embranhado e tento sempre encontrar a ponta  para desenrolar esse novelo e vencer as adversidades da vida...

Mais uma noite escura e de sono Incerto se aproxima , eu cá estarei para a vencer, apesar do cansaço às vezes gostava de adormecer e deixar-me embalar no sono sem horas ou pressas para acordar...

Ou quem sabe dormir o sono eterno... Mas sei que não posso pedir esse sono pois ainda tenho muitas adeversidades para vencer e muitas lutas para travar...

Cá estarei para as receber e deixar-me envolver em pequenos prazeres da vida...

Aproveitar o descanso dos guerreiros e embrulhar-me num manto de sonhos e vencer as adversidades da vida porque amanhã bem cedo o som irritante do  despertador me avisa que está na hora para mais um dia que por muito programado que esteja nunca sabemos ao certo como se vai desenrolar...

Dai a vida ser uma surpresa constante...

Cheia de aventuras e adversidades...